Páginas

domingo, setembro 30, 2012

...E um grande silêncio se fez presente naquela noite, e então todos resolveram partir deixando para trás as suas vontades...

quarta-feira, setembro 28, 2011

Café forte ou café fraco


Café forte ou café fraco
Café doce ou meio amargo
Café com leite ou café puro
Café ou leite
Açúcar ou adoçante
Na xícara ou no copo
Passado no coador  ou feito à  máquina
Se for com leite, com ou sem canela
Se for puro, com ou sem espuma
Se for inverno, quente
Se for verão, e então?

quinta-feira, janeiro 28, 2010

Pão e Poesia

Felicidade
É uma cidade pequenina
É uma casinha, é uma colina
Qualquer lugar que se ilumina
Quando a gente quer amar
Se a vida fosse trabalhar
Nessa oficina
Fazer menino ou menina
Edifício e maracá
Virtude e vício
Liberdade e precipício
Fazer pão, fazer comício
Fazer gol e namorar
Se a vida fosse o meu desejo
Dar um beijo em teu sorriso
Sem cansaço
E o portão do paraíso
É teu abraço
Quando a fábrica apitar
Não há passagem
Entre o pão e a poesia
Entre o quero e o não queria
Entre a terra e o luar
Não é na guerra
Nem a saudade
Nem futuro
É o amor no pé do muro
Sem ninguém policiar
É a faculdade de sonhar
É a poesia que principia
Quando eu paro de pensar
Pensa na luta desigual
Na força bruta, meu amor
Que te maltrata
Entre o almoço e o jantar
O lindo espaço
Entre a fruta e o caroço
Quando explode é um alvoroço
Que distraiu o teu olhar
É a natureza onde eu apareço
Metade da tua mesma vontade
Escondida em outro olhar
E como doce
Não esconde a tamarinda
Essa beleza só finda
Quando a outra começar
Vai ser bem feito
Nosso amor daquele jeito
Nesse dia é feriado
Não precisa trabalhar
Pra não dizer
Que eu não falei da fantasia
Que acaricia o pensamento popular
O amor que fica entre a fala
E a tua boca
Nem mesmo a palavra mais louca
Consegue significar felicidade
Felicidade
É uma cidade pequenina
É uma casinha, é uma colina
Qualquer lugar que se ilumina


Autores: Moraes Moreira e Fausto Nilo

sábado, maio 20, 2006

Palavras ao vento

Ando por ai querendo te encontrar
Em cada esquina paro em cada olhar
Deixo a tristeza e trago a esperança
Em seu lugar
Que nosso amor pra sempre viva
Minha dádiva
Quero poder jurar que essa paixão jamais será palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras
Momento
Palavras, palavras
Palavras, palavras
Palavras ao vento

Autores: Marisa Monte e Moraes Moreira

terça-feira, maio 16, 2006

Tento fugir

Tento fugir, mas não posso
Não posso fugir desse desejo
Quero te ver ou ao menos te ouvir
Ouvir o som da tua voz
O que devo fazer?
Já não sei

Queria decifrar-te
Saber dos seus anseios
Acertar sobre seus gostos
Ter a ti como preferência, sempre
Minha cabeça já tão confusa
Não entende
Você não revela quem tu és
Uma perturbadora incógnita
Óh! discreta mulher

Propriedade por um instante

Dela me aproprio por um instante
Palavra, ciência nunca exata
Mesmo assim dela faço uso e digo
Contigo minha busca é somente somar
É, necessariamente, multiplicar
Somente e tão somente depois dividir
Sem jamais subtrair

domingo, maio 07, 2006

Domínio público

Não te amo! – Não, te amo!
Não te amo mais!
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
Eu jamais usarei a frase:
Eu te amo!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais
Leia de trás para frente
Autor desconhecido

Procura-se mulher

Que.....
Queira um parceiro
Amante ou amigo;
Ame sem medo,
Ame sem juízo;
Seja romântica.

Que.....
Tenha sensibilidade
Ao toque na pele;
Saia da tecla,
Entre na vida,
Na vida real.

Que.....
Seja só minha,
Me queira só seu,
Respeite o próximo,
Goste de música,
De todas as músicas.

Que.....
Ame, ame, ame e ame,
E que queira ser amada

Que.....
Telefone,
Me encontre onde for,
Não tenha horário,
Diga a verdade, apesar da dor.

Não te incomodes

Não te incomodes
Não te incomodes com os “achismos” de última hora
Não te incomodes com aquilo que lhe aflige no instante
Não te incomodes

Não te incomodes com a ignorância alheia
Não te incomodes com a distância do amor escolhido
Não te incomodes com a vergonha passageira
Não te incomodes

Não te incomodes com o infortúnio
Não te incomodes com a tristeza
Não te incomodes se te dizem asneiras
Não te incomodes se não te digo o que queres
Não te incomodes

Não te incomodes com o céu cinzento
Não te incomodes

Permita que o Sol ilumine seu caminho

Permita que o Sol ilumine seu caminho
Acredite nos justos
Ignore os sem virtudes
Abra o coração e se dê
Dê uma chance, uma oportunidade
Vença os medos com o vigor da esperança
Creia em ti, mas não deixe de acreditar em quem ti ama
Aproveite a vida, viva!
Se quiser a felicidade, vá e busque-a
Conquiste-a ao preço justo e não a deixe correr por entre as mãos
Tente, e tente, insista
Não espere que algo aconteça. Faça acontecer!!!
Eleve sua fé
Não tenha medo de ser feliz ao lado de quem te ama
Ame, aprenda, dedique-se
E não se esqueça de ter sempre fé

Li

Jamais pensei em te amar, mas amei
Amei como nunca amei ninguém
Ninguém assim , pois encontrei
Assim, então, me entreguei
Incondicionalmente
Nunca quis te perder, mas aconteceu
Amor eu sei, te perdi
Eu precisava te dizer
Uma única vez, enfim
De um sentimento puro
Especial e sublime para muitos
Sincero enquanto foi amor, sem fim